ORANDO COM FÉ – TIAGO 1.6-7

 Prezados irmãos e leitores,

Em nosso “Vida Vitoriosa” da semana passada, um dos temos que tocaram muito os corações, foi: O PODER SOBRENATURAL DA ORAÇÃO, ministrado pela pastora Rose. Naquele estudo foi enfatizado o que o profeta Jeremias disse sobre o auto elogio, dizendo: “Assim diz o SENHOR: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem  o forte, na sua força, nem o rico, nas suas riquezas; mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me conhecer e saber que eu sou o SENHOR e faço misericórdia, juízo e justiça na terra, porque destas coisas me agrado, diz o SENHOR”. (Jr 9.23-24). Quem quiser gloriar-se, deve faze-lo procurando conhecer de fato e de verdade quem é o SENHOR que é justo e misericordioso.

Tiago disse: “Peça-a, porém, com fé, sem duvidar, pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, levada e agitada pelo vento” (Tg 1.6). Você alguma vez já foi surpreendido(a) por Deus ter respondido sua oração? Creio que já. No entanto, isso é uma falta de fé. E a Bíblia nos diz que nossas orações podem ser dificultadas por uma série de coisas, incluindo a falta de fé. Não há dúvida de que a fé é um elemento chave para a oração eficaz. A falta de fé vai atrapalhar a oração e a Bíblia nos diz: “…Não pense tal homem que receberá coisa alguma do Senhor” (Tg 1.6-7).

Jesus, em uma ocasião, como registrado em (Mc 6.5), “Não pôde fazer nenhum milagre” em uma cidade por causa da incredulidade do povo. Em outras palavras, Deus queria fazer a Sua obra, mas a incredulidade do povo o impediu. Cuidado, com a sua incredulidade, irmãos! Ela é uma blasfêmia ao Espírito Santo!

Podemos também nos lembrar de inúmeras histórias nos evangelhos de pessoas que foram elogiadas por sua fé. E ao mesmo tempo, devido às interpretações extremas desta verdade, eu preciso explicar melhor minhas declarações. Sim, Deus quer que tenhamos fé, mas Ele não é totalmente dependente da nossa fé. Quanta fé, de fato, teve Lázaro quando foi ressuscitado dos mortos? Nenhuma, eu diria. Então, qual fé ressuscitou Lázaro? Foi a fé de Jesus. Quando você estiver orando por alguém que não tem fé, não se preocupe. Sua fé, fará Deus operar.

O que quero dizer é que a fé é uma parte intrínseca da oração, mas não depende inteiramente de nós. Precisamos encontrar o equilíbrio. Sim, precisamos de fé e devemos orar com toda a fé que temos. Ainda assim, Deus pode, ao mesmo tempo, fazer muito com pouco. Com uma fé do tamanho de um grão de mostarda (a menor semente), Deus pode operar grandes maravilhas em nossas vidas. Ele disse que, com uma fé desse tamanho, uma pessoa pode fazer um monte transportar-se de um lado para o outro.

Quando oramos com fé, nossas orações são ouvidas e respondidas. Quando a fé fica ausente ou vacila, somos, como disse Tiago, semelhantes às ondas do mar que vão e vêm repetidamente, mas não acontece nada.

        Que as nossas orações sejam todas feitas sob o efeito da fé, para que vejamos a glória de Deus manifestada em nossa vida e na vida de quem recebe a oração. Não se esqueça: “A oração muda as coisas”; “Muita oração, muito poder”; “Pouca oração, pouco poder”. (Soli Deo Glória) Clóvis.

Copyright © 2014 Igreja Batista do Calvário . Todos os direitos reservados. Site desenvolvido por Flavio Paiva com Design de Rafael Timo